VISITE TAMBÉM

Rua Pedro Vicente, 625

Canindé - São Paulo SP

CEP 01109-010

(11) 3228-7208 / (11) 3315-9018

SINASEFE-SEÇÃO SÃO PAULO

NOTA PÚBLICA: CONTRA A INTIMIDAÇÃO DE TRABALHADORES E ESTUDANTES NO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS

17.04.2019

 

A professora Camila Marques foi presa, algemada e teve o celular apreendido por policiais civis de Goiás na manhã desta segunda-feira (15), enquanto dava aulas no campus de Águas Lindas do IFG (Instituto Federal de Goiás). Três estudantes também foram levados da escola à delegacia da cidade. O caso ganhou notoriedade nacional pela atuação truculenta dos policiais, configurando abuso de poder.

 

O Sinasefe-SP reafirma os votos de solidariedade à Camila, que também é dirigente sindical, e manifesta repúdio ao fato da professora ter sido agredida e detida dentro do ambiente escolar. É fundamental destacar que a condução de alunos menores desconsidera o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), bem como é inadmissível a falta de preparo e respaldo demonstrada pelos gestores do IFG, que permitiram que tal situação acontecesse dessa forma, ferindo a autonomia da instituição.

 

Reproduzimos dois materiais divulgados pelo Sinasefe Nacional:

 

Vídeo da Professora Camila Marques relatando o ocorrido:

 

 

Nota Pública assinada pela Direção Nacional do Sinasefe:

 

Na manhã desta segunda-feira (15/04) a professora do campus Águas Lindas-GO do IFG, Camila Marques, foi presa pela Polícia Civil de Goiás. A situação foi criada pela atuação truculenta dos policiais ao levarem estudantes, menores de idades, para a delegacia por um suposto envolvimento no planejamento de atos ilícitos. Cabe ressaltar, no entanto, que os estudantes levados estiveram ativamente envolvidos em atividades recentes em defesa da Rede Federal, defesa dos direitos estudantis e denunciando os feminicídios na região de Águas Lindas-GO. Ou seja, tais acusações foram pretexto para a intimidação de estudantes e trabalhadores que lutam pelo direito à educação e pela vida digna.

 

A professora Camila Marques, que é coordenadora geral do SINASEFE desde maio de 2018, é uma lutadora incansável pelos direitos da classe trabalhadora. Sua postura foi de se posicionar em defesa dos estudantes quando se deparou com a situação absurda na escola em que trabalha, registrando a ação dos agentes públicos com seu telefone celular (filmando e fotografando a abordagem no interior do campus). Persistindo no registro da ação, Camila foi comunicada de que seria levada à delegacia na condição de testemunha. No momento em que Camila se recusou a entrar numa viatura descaracterizada e estava solicitando assistência jurídica, ela teve o celular arrancado de suas mãos à força, foi algemada e colocada no carro violentamente. A justificativa para a prisão: "desobediência".

 

Tal acontecimento é a expressão dos tempos atuais, quando os donos do poder se acham no direito de passar por cima dos preceitos constitucionais e democráticos autuando todos que considerem ser contrários aos seus interesses. Esse clima de terror criado pelos órgãos de repressão do Estado, repercutido por inúmeros cidadãos, caminha no sentido de banalizar a vida e as perspectivas de uma sociedade civilizada.

Infelizmente os gestores do IFG e do campus não se posicionaram de maneira veemente contra tais arbitrariedades. Ficaram, assim, passivos diante da quebra da autonomia da instituição.

 

O SINASEFE se manifesta radicalmente contrário à intervenção policial truculenta no IFG, repudia veementemente a prisão da educadora e dirigente sindical Camila Marques e cobra um posicionamento dos responsáveis diante dos atos de violência institucional.

 

Em defesa da Rede Federal e da educação pública como direito universal!

 

BAIXE AQUI EM PDF

 

 

 


 

Tags:

Please reload

Notícias em Destaque

Denúncia do MPF contra Glenn Greenwald é um ato escandaloso de criminalização do jornalismo e perseguição política

22.01.2020

Fique por dentro! Edição de janeiro do boletim do Sinasefe-SP divulga calendário de mobilizações e assembleias e faz chamado à luta. Confira.

17.01.2020

Carta Aberta ao Conif contém 26 tópicos de reivindicações do Sinasefe e 4 tópicos com pedidos de compromissos ao Conselho

16.01.2020

Fonasefe lança carta às Centrais Sindicais: entidade faz chamado à luta pela campanha salarial do funcionalismo e Greve Geral dia 18 de março

13.01.2020

Horário de funcionamento durante o mês de janeiro

06.01.2020

Sem consulta é golpe! Sinasefe-SP denuncia autoritarismo da Medida Provisória 914/2019

26.12.2019

1/1
Please reload

VOLTAR AO TOPO